A importância da cultura na escola

A importância da cultura na escola

Einstein dizia que Educação é o que fica quando você esquece tudo o que aprendeu. Considero um dos pensamentos mais incríveis que já acessei e o uso quase todos os dias. Este pensamento funciona para jovens, adultos e também para organizações. O que há de mais importante em uma organização? Clientes? Colaboradores? Penso que não. O mais importante é a sua cultura. Uma cultura bem alinhada com a visão dos mantenedores e gestores, e uma cultura concretizada com eficácia no dia a dia é a maior segurança de qualquer instituição e as escolas não fogem dessa regra.

Um jovem pode esquecer as fases da mitose, quem liderou Canudos ou os tipos de orações subordinadas, mas não pode esquecer como aprender, como tomar uma decisão ou como comunicar uma ideia. Esses elementos constituem a verdadeira educação, que promove liberdade para suas escolhas e ações. Da mesma forma, uma organização não pode ficar refém das pessoas, nem de clientes ou colaboradores. As pessoas mudam de ideia, tem seus próprios valores e vontades. Estão alinhadas com os rumos da organização hoje, mas não estão amanhã. A instituição deve estar preparada para sobreviver a essa rotatividade, de clientes e colaboradores. Essa segurança nasce com a firmeza da cultura institucional que garante para toda comunidade o que irá acontecer dentro da organização.

E o que é essa cultura? Cultura é o conjunto de valores que direciona para um conjunto de práticas que acarreta em resultados esperados. Os gestores controlam valores e práticas, mas não os resultados. Porém, só é possível um bom resultado, fazendo um bom jogo e isso ocorre quando os princípios e as práticas são boas. Quando acontece uma rotatividade de jogadores e a cultura não está estabelecida, o time sofre, pois precisa recomeçar do zero. Porém, quando valores e práticas estão enraizados, os novos jogadores já entram com um plano de jogo definido.

Buscando tornar ainda mais claro os conceitos acima. Uma escola não pode ficar refém de pais e professores. Não pode mudar uma prática simplesmente porque um pai não aprova. A opinião dos clientes é muito importante, mas é preciso uma visão do todo, o que agrada ou não a maioria. Uma forma de fracassar é tentar agradar plenamente todos. No que se refere a colaboradores, especialmente professores, vale o mesmo pensamento. A escola não pode mudar porque um professor quer, nem mesmo a proposta pedagógica. A cultura é mais importante. O trabalho dos gestores é buscar professores alinhados com a proposta e que a pratiquem com qualidade. Quando a escola tem bons valores e práticas e pessoas capazes de executá-las com excelência terá o seu público.

O ERP da Tullli Educação é mais do que um sistema. Ele foi construído por gestores do meio educacional que acreditam na importância da cultura institucional. Os dados são armazenados e publicados para concretizar os valores da escola e otimizar suas práticas.

 

 

Fabio Benites

Diretor Pedagógico por mais de 20 anos,

sócio-fundandor do Colégio e Curso Intellectus,

da Irium Educação e da Tullli Inteligência Educacional.